Compondo e recompondo

A composição na fotografia é um exercício que vai sendo melhorado somente com a prática. Praticar, errar, acertar, compor e recompor. Só mesmo pegando a câmera e indo pra rua.

Ao escolher o objeto da cena deve-se prestar atenção no seguinte:

=> verificar se há elementos distrativos: carro passando, pessoas ao fundo, lixeiras coloridas, enfim, uma série de coisas que pode parecer que não mas que destroem a foto.

=> eliminar elementos que atraem o olhar mas não são o elemento principal da foto.

=> analisar as luzes, sombras, texturas, formas geométricas, cores, enfim elementos que possam enriquecer ou empobrecer a foto.

=> decidir se o objeto fica melhor enquadrado na horizontal ou vertical.

=> utilizar linhas e curvas para guiar o olhar ao ponto principal da foto.

=> manter a linha do horizonte sempre alinhada.

Esta cena obviamente contém muita informação. Ela foi feita com diafragma em f/4, distância focal de 47mm, 1/160, ISO 400. O foco da foto está atrás do arbusto central, próximo às flores rosas e azuis do terceiro plano. Vejo esta foto com o primeiro plano (a lápide) e o segundo plano (arbusto com flores rosa) com bastante desfoque, em decorrência de um diafragma razoavelmente aberto demais. Além do excesso de informações que existem nos primeiros planos da foto, ainda há o sol que se destaca bastante, atraindo o olhar.

Nesta foto foi usada a regra de padrão, repetição e ritmo. A foto foi feita com diafragma em f/3.2, distância focal de 200mm, 1/125, ISO 400. O diafragma bastante aberto e o foco próximo ao pássaro deixaram todo o resto da cena com bastante desfoque. Porém, apesar do desfoque, a imagem atrai o olhar, devido às repetições, pois elas acresentam interesse e estrutura visual à cena, além de criar um certo equilíbrio. Além disso, o objeto principal da cena (o pássaro) está localizado em um dos pontos mais atrativos da imagem, próximo ao cruzamento inferior esquerdo e olhando para dentro, ou seja, o assunto está virado para o espaço maior da cena.

Nesta foto vejo que dois elementos são os que mais atraem o olhar, a árvore e o banco. Foto feita com diafragma f/2.8, distância focal de 102mm, 1/640, ISO 800. A posição vertical da foto e a textura da árvore contribuem para um aspecto mais visualmente agradável, destacando a relevância da árvore.

Outra foto com muita informação, novamente a luz do sol distrai o olhar. Foto feita com diafragma f/5.6, distância focal de 200mm, 1/200, ISO 400. Embora tenha sido utilizado um diafragma mais fechado, o primeiro plano da foto está mais desfocado. Entretanto, a repetição dos objetos do primeiro plano equilibram a cena.

Outro aspecto importante na composição das fotos é a presença das linhas. As linhas diagonais são mais expressivas que as verticais ou horizontais pois são menos monótonas e produzem variação na imagem. De qualquer forma, quando as linhas (sejam verticais, horizontais ou diagonais) estão paralelas ao plano da imagem, não formam uma perspectiva. Não transmitem a sensação de profundidade.

Já as linhas inclinadas em relação ao plano, produzem efeito de profundidade convergindo para um ponto distante dentro da cena e são chamadas de linhas de fuga. Elas trazem sensação de tridimensionalidade e são elementos de forte impacto visual na cena.

O ponto de fuga é o ponto de interseção das linhas de fuga. É ele que marca a direção para onde os objetos se aprofundam. Mesmo quando não há linhas de fuga, o ponto de fuga pode ser obtido de outras formas como o efeito atmosférico de esfriamento de cores e a perda gradual do contraste.

Foto feita com diafragma f/4, distância focal de 24mm, 1/500, ISO 1000. Mostra o ponto de fuga por meio de linhas inclinadas em relação ao plano da foto, ou seja, transmite a sensação de profundidade.

Ao contrário da foto acima, as linhas retas paralelas ao plano da imagem não transmitem a sensação de profundidade. Foto feita com diafragma f/2.8, distância focal de 155mm, 1/500, ISO 1250.

Outra foto com linhas horizontais paralelas ao plano da imagem. Já as linhas formadas pelas nuvens estão inclinadas em relação ao plano da imagem, dando tridimensionalidade e profundidade ao céu. Foto feita com diafragma f/6.3, distância focal de 24mm, 1/500, ISO 640.

Outra dica bacana de composição é procurar dois planos a serem fotografados, para a composição ganhar profundidade. Pode ser usado algum elemento que pertença ou não à paisagem original ou algum objeto colocado propositalmente. Foto feita com diafragma f/2.8, distância focal de 200mm, 1/500, ISO 1000.

Usar árvores, vãos de janelas ou portas, colunas, folhagens como moldura também é uma ideia bacana. Pode-se dar destaque ao objeto e à moldura, somente ao objeto ou somente à moldura. Muitas vezes a moldura traz um efeito diferenciado à uma imagem que poderia ser bastante simples. Foto feita com diafragma f/2.8, distância focal de 200mm, 1/200, ISO 2500.

Please reload

Fernanda Pimentel Fotos
Fotografia Infantil
Brasília / DF
fernandapimentelfotos@gmail.com
(61) 9 9215-8933
2019 ® Fernanda pimentel fotos | Todos os direitos reservados. site desenvolvido por wuum.